Jogos por correspondência

abril 23, 2008

Antigamente amigos distantes tinham a opção de jogar por correspondência. As partidas eram demoradas, três ou quatro lances, no máximo, por semana. A presente partida terminou empatada em 22/09/1964 e foi jogada contra Edson Friques, forte damista do Espírito Santo.

1. c3-d4 b6-a5  2. d4-c5 d6xb4  3. a3xc5 f6-g5  4. b2-c3 g7-f6 
5. a1-b2 g5-h4  6. c3-d4 c7-b6  7. g3-f4 f6-g5  8. d2-c3 h8-g7
9. b2-a3 e7-d6  10. c5xe7 f8xd6  11. f2-g3 h4xf2  12. e1xg3 g5-h4
13. c1-d2 h4xf2 14. f4-e5 d6xf4  15. e3xg5 h6xf4  16. g1xg5 d8-e7
17. g5-h6 g7-f6  18. d2-e3 b6-c5  19. d4xb6 a7xc5 com empate, ou nítchia, como diz o russo.

Insistir com 20. e3-f4 f6-g5  21. f4-e5 g5-h4  22. c3-d4 c5xe3 
23. a3-b4 a5xc3  24. e5-f6 e7xg5  25. h6xb4 seria inócuo. Nenhum bom jogador entraria nessa fria. Ademais, lembrem-se, forçar um ganho pode se voltar contra o aprendiz de feiticeiro

Reproduzi os lances com o software Plus800 – Brazilian Draughts, baixado de Self-teaching Draughts.
A versão standard custa 17 $ e a professional, 37 $.
Eu baixei a versão demo que, evidentemente, não possui todas as opções das versões pagas nem sei até quando funcionará.

Anúncios

Meus Sinais

abril 21, 2008

Este post só deverá interessar aos leitores que jogam damas e foi publicado originalmente no blog Lugar do Real, do Simbólico e do Imaginário. Aos não-damistas, leiam sem compromisso.
Meus Sinais foi um blog que fiz para registrar algumas das coisas em que dissipei meu tempo ao longo da existência. Uma dessas coisas foi o jogo de damas. Mas não se deve lamentar nenhum tempo dispensado à oxigenação da mente ainda mais quando nos trouxe amigos. Um desses amigos foi o Paulo Sodré, com quem joguei a partida hoje apresentada. Quando o conheci seu jogo era inferior ao meu. Eu ganhava algumas partidas dele. Mas num breve período a fera aguçou os sentidos até que, me recordo, eu pensei com meus botões: “Que está acontecendo? Não consigo mais ganhar dele!” Dali a algum tempo Sodré ganhava o Campeonato Carioca de Damas. Simplesmente era o melhor jogador do Rio de Janeiro. Eu estacionei.

Jogo amistoso em 22/out/1964
Paulo Sodré x Luiz Lailo
1. c3-b4 b6-a5 2. b4-c5 d6:b4 3. a3:c5 f6-e5 4. b2-c3 g7-f6
5. g3-f4 e5:g3 6. h2:f4 f6-e5 7. f4:d6 c7:e5 8. c1-b2 e7-f6
9. c3-d4 e5:c3  10. d2:b4 a5:c3 11. b2:d4 h6-g5 12. c5-b6 a7:c5
13. d4:b6 f8-e7 14.a1-b2 h8-g7 15. b2-c3 g7-h6 16. f2-g3 b8-c7!
17. c3-d4!
Para 17. b6-a7 viria 17. … c7-b6 18. a7:c5 e7-d6 19. c5:e7 g5-h4 20.
e7:g5 h4:b2 e acabou-se o que era doce.
17. … c7:a5 18. d4-c5 e7-d6 19. c5:e7 g5-h4 20. e7:g5 h6:h2?
20. … h4:d4 simplificaria a vitória.
21. e1-f2 d8-c7??
O certo seria 21. … a5-b4
22. c3-d4 a5-b4 a5-b4 23. d4-e5 b4-c3 24. e5-f6 c3-b2 e após mais alguns lances chegou-se ao empate.

Veja, ao final do post Minha melhor partida de damas, como conseguir um software para acompanhar os lances acima.


No jogo de damas também há “escrita”!

abril 17, 2008

No jogo de damas, assim como no futebol, também existe “escrita”. Na partida deste post jogo contra o Valdo Brito, campeão do Torneio Geraldino Izidoro com certa folga. Quando o conheci eu era um “patinho” autêntico, perdia todas contra ele. Ele nunca se furtou a me dar experiência, sempre jogava comigo. Até que consegui empatar algumas partidas, mas jamais ganhei. Nessa eu poderia ter ganho, mas houve um erro de avaliação. O Valdo Brito tinha muito talento e poderia ter chegado a campeão carioca ou algo mais caso se dedicasse mais ao esporte. Joguei também uma partida com o Valdo no torneio referido acima. Também terminou empatada e será publicada mais à frente.
Embora não tenha anotado a data em que foi jogada a partida, há duas anotações estranhas, uma no início da partida – 8:16 – e outra ao final – 10:16. Terá durado 2 horas o entrevero?

1. g3-f4 f6-c5  2. c3-d4 f6-e5  3. d4xb6 e5xg3  4. f2xh4 a7xc5 
5. b2-c3 g7-f6 6. c3-b4 f8-g7  7. h2-g3 f6-g5  8. h4xf6 g7xe5
9. e3-f4 h8-g7  10.  a1-b2 e7-f6  11. g1-h2 c5-d4  12. d2-c3 f6-g5
13. e1-d2 g5xe3  14. d2xf4 b8-a7  15. b4-c5???
Aqui o correto seria 15. g3-h4 e5xg3 e 16. h2xf4; para a subsequente defesa com d8-e7 e e7-f6 segue a ameaça c1-d2 e d2-c3.
15. … d6xd2  16. c1xc5 c7-b6  17. f4xd6 b6xd4  18. b2-c3 d4xb2 
19. a3xc1 h6-g5  20. g3-h4 g5-f4 21. c1-d2 a7-b6 

22. d6-c7 g7-f6  23. c7xa5 d8-c7  24. d2-c3 f6-e5
25. c3-b4 e5-d4 26. h2-g3 f4xh2  27. h4-g5 empate.


Simultânea em Mesquita

abril 15, 2008

Ou, quem quer muito traz de casa.

Cinco meses após o torneio relatado no post abaixo houve outra festividade damista na Baixada Fluminense, desta vez no Tênis Clube de Mesquita. O Mestre Geraldino Izidoro novamente esteve participando de uma simultânea. Não me lembro da quantidade de adversários enfrentados por ele nesse dia, mas eram pelo menos uns quinze. Como o simultanista inicia o jogo em todos os tabuleiros ele iniciou com um lance não muito ortodoxo, e3-f4, em todas as partidas. Fui um de seus oponentes.
No futebol existe a máxima “quem não faz leva”. Mas pode não levar, é questão de sorte. No jogo de damas o ditado é um pouco diferente: “quem quer muito traz de casa”, e diz respeito ao fato de que, quando uma partida está tecnicamente empatada, forçar um ganho só faz enfraquecer as posições e o teimoso tem tudo para perder. Foi o que aconteceu na minha partida com o saudoso Izidoro. E o pior é que tive de aguentar gozação. Quando saíamos ele, às gargalhadas, apontando para mim, dizia:
– Esse aí tomou um balão.

Vamos aos lances da partida Izidoro X Lailo

1. ef-f4 f6-e5  2. f2-e3 b6-c5  3.c3-b4  g7-f6  4. b4-a5 e5-d4
5. g3-h4 d4xf2  6. g1xe3 f4-g5  7. h4xf6 e7xg5  8. b2-c3 g5-h4
9. e1-f2 h8-g7  10. a1-b2 f8-e7  11. c3-b4 g7-f6  12. f4-g5 h6xf4
13. e3xg5 f6-e5  14. g5-h6 e7-f6  15. h2-g3 c5-d4  16. b2-c3 d4xb2
17. b4-c5 d6-b4  18. a5xa1 a7-b6  19. d2-e3 b6-c5  20. a1-b2 c7-b6
21. b2-c3 b8-a7  22. c1-b2 d8-c7??  23. a3-b4 e 24. e3-f4, com vitória.