Bogoliubov, a Tablita e o fim dos empates

fevereiro 14, 2011

Nos jogos de tabuleiro as peças brancas sempre começam o jogo. No mundo do xadrez diz-se que há uma pequena vantagem para quem faz o primeiro lance. Não sei se é verídico o que se conta a respeito do folclórico campeão russo Bogoliubov. Ele dizia que quando jogava com as brancas ganhava porque tinha a vantagem do primeiro lance, quando jogava com as peças pretas ganhava porque era Bogoliubov.

No jogo de damas antigamente você ia para o torneio e, se tivesse as peças brancas, sendo o primeiro a jogar, tinha a opção de dar um rumo à partida jogando 1. c3-d4 ou 1. c3-b4 ou ainda as peças em a3, e3 ou g3. Nada que assegurasse alguma vantagem, mas pelo menos levava-se a partida para uma área conhecida. Então o que ocorria? Eram jogadas partidas conhecidas por ambos os oponentes e os dirigentes começaram a reclamar do alto índice de empates.

Na Rússia, em 1980, inventaram a Tablita. “A Tablita foi criada para ser utilizada apenas em eventos de alto nível, onde o nível técnico dos participantes é muito elevado e o volume de empates é muito alto. A Confederação Brasileira de Jogo de Damas adotou como oficial o uso da Tablita nos Campeonatos Brasileiros, pois o nível técnico dos participantes é muito alto e é praticamente impossível que jogadores desse nível percam partidas quando eles podem escolher uma abertura que é totalmente decorada”.

Ou seja, esses mestres podem até perder uma partida ao cair na arapuca da Tablita. Você iniciar a partida com uma peça colocada em a5, no canto, quando todos buscam o centro do tabuleiro, eu acho que já é uma desvantagem. Enfim, manda quem pode, obedece quem não tem alternativa.

No diagrama acima, uma posição ilógica: foi sorteada a posição a3-h4 a7-a3. A branca que estava em a3 vai para h4 e a peça preta que estava em a7 vai para a3. Façam o jogo, senhores. Nem começou e já se tem uma peça preta em a3 tentando arrombar a janela. Francamente, não gosto disso.

Anúncios

Uma partida interessante e instrutiva

janeiro 27, 2011

Tenho uma antiga revista russa de abril de 1963 chamada Шахматы (chármati – xadrez), com as costumeiras duas páginas dedicadas ao jogo de damas. Como se sabe as anotações dos lances são feitas com o alfabeto latino, então não há dificuldade nenhuma, a não ser com os comentários. Palavras como ничья (nítchia – empate), сдались (sdálici – abandonam) e outras poucas, a tradução se depreende na sequência dos lances.

Os comentários são do mestre russo Zinoviy Issaakovtch Tsirik, entre nós conhecido como Tsirik ou Zirik, autor de vários livros, com destaque para “Finais de Damas” e “Damas – Minha Vida”.

Jogam E. Licenko e V. Abaulin, partida reproduzida no software Winbraz.

1. c3-d4 d6-c5   2. b2-c3 e7-d6   3. g3-h4 f8-e7   4. f2-g3 b6-a5
5. d4xb6 a7xc5   6. e3-f4 c5-b4   7. a3xc5 d6xb4   8. e1-f2 c7-d6
9. f2-e3 f6-e5  10. g1-f2! b8-c7  11. h4-g5 c7-b6

Não se pode jogar, claro, 11. … g7-f6 por causa de 12.  a1-b2 e

13. b2-a3 X

12. e3-d4 b6-c5  13. d4xf6 g7xe5  14. f2-e3 d8-c7? (seria melhor 14. … b4-a3)

15. g3-h4 e5xg3  16. h2xf4 h8-g7 17. c1-b2! e7-f6

Se 17. … b4-a3 vem 18. c3-d4 X; para 17. … g7-f6 segue

18. b2-a3 f6-e5 (18. … c7-b6  19. c3-d4 x19. g5-f6 e5xg7

20. c3-d4 c7-b6  21. d2-c3, etc…

18. g5xe7 d6xf8  19. c3-d4 c7-d6  20. d4xb6 a5xc7


21. b2-a3?

A vitória poderia ser alcançada com 21. b2-c3! b4-a3  22. e3-d4! f8-e7

(22. … c7-b6  23. d4-e5 d6-c5 24. e5-d6 e 25. a1-b2 X)

23. d4-c5! d6xb4  24. c3xa5 e7-d6  25. d2-e3 g7-f6  26. e3-d4 X.

21. … f8-e7  22. a3xc5 d6xb4  23. a1-b2 g7-f6  24. b2-a3

Aqui as brancas poderiam jogar 24. e3-d4, após o que não se aplica 24. … b4-a3? por causa de

25. d4-e5! a3xg5  26. e5xg7 h6xf8  27. h4x b6 X.
A seqüência a partir do lance 25 seguiu as regras brasileiras. A regra russa não obriga a tomar o maior número de peças e existe a dama voadora. Assim, aconteceria o seguinte:

25. d4-e5! f6xd4  26. d2-c3 a3xg5  27. h4xe3.

Convém notar que 24. … c7-d6! conduz necessariamente ao empate.

24. … c7-d6  25. a3xc5 d6xb4  26. f4-g5 h6xf4  27. e3xg5, e o jogo terminou empatado.


Minha melhor partida de damas

abril 30, 2009

Há algum tempo procurei as anotações dos lances de uma partida de damas que joguei no dia 20 de julho de 1979, após o expediente, na Petrobrás. Foi um treino, um aquecimento para mais uma rodada do torneio interno da empresa naquele ano. Consegui achar o papel, guardado em uma caixa de papelão, já atacado pelas traças, e que eu tinha separado da minha coleção de partidas. Tive uma colega de trabalho, mais tarde minha chefe, que se “auto-elogiava” dizendo de um seu plano de trabalho: “- Veja quão esperta é a mente humana!”
Realmente na área de informática, como no futebol moderno, não existe nenhum bôbo. Já não posso dizer o mesmo no mundo do jôgo de damas. Lá existem os patinhos, os neófitos do esporte. Não que o meu oponente naquele treino fosse algum iniciante – ele jogou a partida, como manda o livro, mas a minha mente “humana” estava mais que esperta naquela noite. Vamos aos lances, depois comento.
Jogo treino Lôbo X Lailo
1. c3-d4 d6-c5 2. b2-c3 c7-d6 3. c3-b4 b6-a5 4. d4xb6 a5xc7 5. a1-b2 f6-g5 6. b2-c3 g7-f6 7. b4-c5 d6Xb4 8. a3xc5 h8-g7 9. c3-d4 g5-h4 10. g3-f4 f6-g5 11. c1-b2
Sempre se deve pensar mais de uma vez ao resolver avançar as peças em c1 e em g1. São os últimos bastiões da defesa.
11. … g7-f6 12. b2-a3 c7-d6
Este lance força o princípio do fim.
13. a3-b4
Temos no momento a seguinte posição no tabuleiro:

Brancas – b4, c5, d2, d4, e1, e3, f2, f4, g1, h2
Pretas – a7, b8, d6, d8, e7, f6, f8, g5, h4, h6

Esta posição é um problema clássico do jogo de damas – as brancas jogam e ganham. Aqui a vez de jogar é das pretas. Elas sacrificam quatro peças, permitem que o adversário promova uma dama nati-morta. E após mais uma escaramuça coroam sua própria dama, em posição vantajosa e ganham o jogo. Ou seja, ganhariam, mas não vou enganar ninguém; a emoção dos lances me deu um excesso de confiança e afrouxei a tensão da linha. O “pixote” (peixote) escapou. Me desculpe, Lôbo, perco o amigo mas não perco a piada. Pixote no jogo de damas é o jogador fraco, peixinho pequeno. Quem sabe jogar damas verá que o Lôbo jogou muito bem, ele não é fraco. Só que eu tive uma rara inspiração e consegui ver cinco lances a frente.

Segue o jogo: 13. … f6-e5

Segure a emoção.

14. d4xf6 f8-g7 15. f6xh8D e7-f6 16. h8xc7 d8xd4 17. e3xc5 g5xc1D 18. c5-d6 c1-a3 19. d6-c7 b8xd6 20. f2-e3 a3xf2 21. e1xg3 h4xf2 22. g1xe3 d6-e5 ???? 23. e3-f4 e5xg3 24. h2-f4 empate! O certo seria jogar 22. … a7-b6, com vitória.

Se você quiser acompanhar esta partida no computador baixe Damas 3D Really, programa shareware com direito a 15 execuções. O preço é 2 X R$ 11,45 no site Siliconaction. Se você for um aficcionado verá que vale a pena comprar este programa. O programa também pode ser baixado de Syncsoft Softwares.

Pouco tempo depois parei de jogar damas e fiquei fora de forma. Acho que atualmente perco até para uma criança de dez anos. Mas não se metam comigo. Só tenho medo de uma criança de dez anos.


O jogo de damas está resolvido

janeiro 5, 2009

O jogo de damas tem cerca de 500 bilhões de posições possíveis (5 X 1020). A tarefa de resolver o jogo, determinando o resultado final de uma partida sem erros cometidos pelos jogadores, é assustadora. Desde 1989, quase ininterruptamente, dezenas de computadores vêm trabalhando para resolver o jogo de damas, aplicando o estado-da-arte de técnicas de inteligência artificial a esse processo.

Este documento anuncia que as damas – jogo – estão agora resolvidas: os lances perfeitos feitos por ambos os lados conduzem a um empate. Este é o jogo popular mais desafiante para ser resolvido, cerca de um milhão de vezes mais complexo que o moderno jogo em Flash Connect Four.

A tecnologia da inteligência artificial foi utilizado para gerar programas que joguem baseados numa forte eurística, como o Deep Blue para xadrez. Resolver um jogo conduz ao nível seguinte substituindo a heurística com perfeição.

Department of Computing Science, University of Alberta, Edmonton, Alberta T6G 2E8, Canada.

Qualquer dúvida, enviar correspondência para jonathan@cs.ualberta.ca

Esta é a tradução de um artigo publicado no site SCIENCE AAAS há bem pouco mais de um ano, demonstrando o poderio dos supercomputadores e eu fico me perguntando se nos torneios oficiais existe algum dispositivo que impeça algum jogador de ser ajudado por uma dessas máquinas. Mais informações sobre o assunto podem ser obtidas no interessante artigo “Qual o limite? Homens X Máquinas“.


Damas pelo mundo

dezembro 14, 2008

Minha navegação pela internet geralmente não obedece a bússola, cartas, objetivos; simplesmente enfuno as velas e deixo o vento me levar. Assim é que, constatando a presença de uma visitante no meu blog Lugar do Real, do Simbólico e do Imaginário, visitante essa que gosta de jardinagem, fui à procura do meu blog desativado, Meus Sinais, para revisitar os posts que fiz sobre flores, arbustos e hortaliças. Acontece que o jogo de damas também fazia parte de Meus Sinais, e lá encontrei uma partida minha com o célebre damista Mário Borges. Deu empate. Abri o programa Plus800 para acompanhar os lances (não uso mais tabuleiro) e constatei um pequeno engano.
 
Teria eu republicado essa partida no meu blog Shashki? Só que pesquisei pelos lances iniciais da partida: c3-d4 f6-g5 e um leque formidável se abriu. Acabei entrando no blog da Federação Russa de Damas, pelo visto sem atualização.

Peguei um link canadense e li que o 15o Campeonato Panamericano terá lugar, finalmente, em Recife (Brésil) de 13 a 25 de abril de 2009. O tabuleiro, naturalmente, é o de 100 casas. Os canadenses gostam também da modalidade de 144 casas, com 18 peças, o que deve ser uma loucura total. Se eu já me perco jogando em 100 casas…

Na foto os participantes da classe Junior. Na mesa o tabuleiro de 144 casas, na vertical o de 100 casas. Em cima lê-se NOIRS, o “i” está apagado. Em baixo, BLANCS. Eles falam francês.

drville08_juniors

Breve colocarei no blog todos esses links.

Ontem liguei para o campeão Douglas Diniz. Ele estava em Brasília disputando um torneio. Quando voltar vou pedir notícias para colocar aqui no blog. Todos estão convidados também a enviar notícias de suas cidades.  Isso será de utilidade para todos nós. E afinal o blog não pode se dar ao luxo de ter um enviado especial.

E quase me esquecia, vocês sabem que na Rússia, nos torneios, existe a modalidade Damas Brasileiras? Eles têm mais que nos respeitar e nos engolir!


A um mestre não se obriga fazer a forçada

agosto 22, 2008

Publiquei no dia 4 de maio no post Otávio Calaínho, um líder, uma partida que perdi para o damista Cezar Alves da Silva. Descobri agora uma outra partida disputada no mesmo dia (eram jogadas duas partidas por rodada), e essa eu ganhei. Então ficou elas por elas.

Eis os lances:

1. c3-d4 d6-e5  2. d2-c3 e7-d6  3. e3-f4 b6-a5  4. f2-e3 c7-b6
5. g1-f2 b6-c5  6. d4:b6 a5:c7  7. e3-d4 a7-b6  8. f2-e3 b6-a5
9. a3-b4 c7-b6  10. b2-a3 b8-a7  11. c1-b2 b6-c5 

12. d4:b6 a7:c5  13. c3-d4 e5:c3  14. b2:b6 a5:c7 
15. b4-c5 d6:b4  16. a3:c5 f6-g5  17. c5-d6 c7:e5 
18. f4:d6 d8-e7  19. d6-c7 e7-d6  20. c7:e5 g5-f4
21. e3:g5 h6:d6  22. a1-b2 g7-f6  23. g3-f4 d6-c5 

24. h2-g3 h8-g7  25. e1-d2 c5-d4  26. d2-c3 f8-e7 
27. c3:e5 f6:d4  28. g3-h4 g7-h6  29. b2-a3 d4-c3 
30. h4-g5 c3-d2  31. a3-b4 d2-e1  32. b4-c5 e1-d2

e as brancas abandonaram porque trata-se de um final de três damas contra uma dama chamado “forçada”, sendo que as três dominam a diagonal central. E como dizia aquele damista gozador, a um mestre não se obriga fazer a forçada.


Waldyr Tosta

julho 13, 2008

Antonio Tavares Vitorino, Izidoro, Cícero Rocha, Antonio Alves, Mário Borges, Zigomar, Waldyr Tosta, Herval, Paraíba, Douglas Diniz, Paulo Ticon e Amilcar Cavalcante, estes foram os doze participantes do campeonato carioca de 1962, creio não ter esquecido de ninguém.
A decisão do torneio foi para a última rodada, entre Antonio Vitorino e o Paraíba, este uma figura bizarra, jogador corretíssimo durante os certames oficiais mas que, nos amistosos, falava mais que papagaio de madame, com seu linguajar característico: “dar pra mão”, “sessão de ataque”, etc.
Após seus afazeres diários, calçando alpercatas de nordestino, a barba por fazer, o Paraíba seguia diretamento para o local dos jogos. Mas no jogo final, quando tinha tudo para se sagrar campeão, ele se esmerou na apresentação pessoal. Deu uma passada no barbeiro, fez barba, cabelo e bigode, botou uma roupa limpa, só não dispensou as alpercatas. Mas ele se desligou do horário e chegou incrivelmente atrasado. Perdeu o campeonato por WO.
– “É lamentável”, ele não cansava de repetir em sua voz rouca.
– “Sinto muito”, foi o que respondeu Antonio Tavares Vitorino, merecido vencedor do torneio.

Eu cheguei a jogar em torneios ou amistosamente com alguns desses jogadores: Izidoro, Cícero Rocha, Antonio Alves, Mário Borges, Zigomar, Waldyr Tosta e Paulo Ticon. Pelos resultados que obtive com cada um deles eu suponho que não me sairia mal disputando o campeonato da cidade.

Segue uma partida amistosa jogada neste mesmo ano com Waldyr Tosta movimentando as peças pretas.

1. g3-h4 f6-e5  2. a3-b4 (Novo lance usado na Rússia, mas que ainda não é adotado na prática de torneio) 2. … b6-c5 (O russo joga 2. … b6-a5);
Vale ressaltar que fiz esses comentários em 1962.
3. b2-a3 e5-f4  4. e3:g5 h6:f4  5. f2-g3 d6-e5  6. b4:d6 e7:c5
7. c3-b4 c7-d6  8. d2-e3? f4:d2  9. c1:e3? a7-b6!
Este lance ganha a partida. No entanto as pretas o jogaram inconscientemente como se verá adiante.
10. b4-a5 b8-c7? deixando escapar a vitória.  Tente achar a sequência correta no diagrama abaixo.

O certo seria 10. … d8-e7!  11. a5:c7 c5-d4  12. e3:c5 d6:b4  13. a3:c5 b8:b4, sem a mínima chance de empate para as brancas.

Seguindo: 11. g3-f4 e5:g3  12. h2:f4 g7-f6  13. a1-b2 f6-e5 
14. g1-h2 e5:g3 15. h2:f4 f8-e7  16. b2-c3 e7-f6 
17. c3-d4 h8-g7  18. e1-d2 g7-h6  19. d2-c3 h6-g5 
20. f4:h6 d6-e5  21. h6-g7 f6:h8 e as pretas abandonaram.

As pretas jogam e ganham