Campeonato Olindense de Damas

janeiro 15, 2009

A presente partida foi jogada em meados de 1971 com o valoroso damista Servilio C. Santos e seguiu até o trigésimo lance terminando com um empate.

Brancas: Servílio
Pretas: Luiz Lailo

1. c3-d4 d6-c5  2. g3-h4 c7-d6  3. h2-g3 b6-a5  4. d4:b6 a5:c7
5. a3-b4 a7-b6  6. b4-a5 f6-e5  7. e3-f4 g7-f6  8. b2-a3 b6-c5
9. a1-b2 e5-d4  10. d2-e3 f8-g7  11. a3-b4 c5:a3
12. e3:c5 d6:b4  13. a5:c3 e7-d6  14. f2-e3 f6-e5
15. g1-h2 c7-b6  16. e1-d2 b6-c5  17. c3-b4 c5-d4

Nunca mais tinha visto essa partida e hoje, quase 38 anos depois, sinto que o lance c5-d4 afrouxou a tensão no meio do tabuleiro. Numa posição complicada a corda pode arrebentar para qualquer dos lados mas tive a impressão de que as pretas possuiam mais folga do seu lado direito. Quem tiver tempo disponível e quiser pesquisar essa linha nós agradecemos.

18. e3:e7 d8:f6  19. f4:d6 a3:e7  20. b2-c3 e7-d6
21. d2-e3 d6-c5  22. c1-b2 b8-a7  23. b2-a3 a7-b6
24. g3-f4 f6-g5  25. h4:f6 g7:g3  26. h2:f4 b6-a5
27. c3-d4 h8-g7  28. d4:b6 a5:c7  29. e3-d4 g7-f6
30. a3-b4 c7-b6  Empate

Anúncios

O jogo de damas está resolvido

janeiro 5, 2009

O jogo de damas tem cerca de 500 bilhões de posições possíveis (5 X 1020). A tarefa de resolver o jogo, determinando o resultado final de uma partida sem erros cometidos pelos jogadores, é assustadora. Desde 1989, quase ininterruptamente, dezenas de computadores vêm trabalhando para resolver o jogo de damas, aplicando o estado-da-arte de técnicas de inteligência artificial a esse processo.

Este documento anuncia que as damas – jogo – estão agora resolvidas: os lances perfeitos feitos por ambos os lados conduzem a um empate. Este é o jogo popular mais desafiante para ser resolvido, cerca de um milhão de vezes mais complexo que o moderno jogo em Flash Connect Four.

A tecnologia da inteligência artificial foi utilizado para gerar programas que joguem baseados numa forte eurística, como o Deep Blue para xadrez. Resolver um jogo conduz ao nível seguinte substituindo a heurística com perfeição.

Department of Computing Science, University of Alberta, Edmonton, Alberta T6G 2E8, Canada.

Qualquer dúvida, enviar correspondência para jonathan@cs.ualberta.ca

Esta é a tradução de um artigo publicado no site SCIENCE AAAS há bem pouco mais de um ano, demonstrando o poderio dos supercomputadores e eu fico me perguntando se nos torneios oficiais existe algum dispositivo que impeça algum jogador de ser ajudado por uma dessas máquinas. Mais informações sobre o assunto podem ser obtidas no interessante artigo “Qual o limite? Homens X Máquinas“.